Crianças com 4 anos

cadeira-01.png

COMPRANDO

O EQUIPAMENTO

cadeira-02.png

INSTALANDO

O EQUIPAMENTO

cadeira-07.png

POSICIONANDO

A CRIANÇA

cadeira-06.png

QUANDO TROCAR

O EQUIPAMENTO?

Comprando o equipamento

É recomendado que essa criança esteja em todos os deslocamentos (curtos ou longos) em um desses tipos de dispositivos de segurança:

Cadeirinha reversível -

0 a 25 kg

(modelo Matrix Evolution K da Burigotto

Cadeirinha reversível 3 em 1 - 0 a 36 kg

(modelo Stretch da Kiddo)

Cadeirinha Múltipla -

9 a 36 kg

(modelo Múltipla 1.2.3 da Burigotto)

Assento Elevado com proteção lateral - 15 a 36kg

(modelo Protege Reclinável da Burigotto)

Assento Elevado sem proteção lateral- 15 a 36kg

(modelo Assento Protege da Burigotto)

De acordo com a legislação brasileira, a criança deve usar modelos de cadeirinha de um a quatro anos de idade e o assento elevado de 4 a 7 anos e meio. Ou seja, pela idade a família pode escolher tanto entre as cadeirinhas quanto os assentos elevados.

Nas cadeirinhas, a criança fica sentada de frente para o movimento, na mesma posição que os demais ocupantes do veículo e presa um sistema de retenção de cinco pontos, como nos cintos de segurança de veículos de corrida profissional, o que distribui melhor a energia do impacto em caso de colisão

 

As tiras da cadeirinha devem sair da fenda na altura do ombro da criança, ou acima, e serem ajustadas ao corpo com um dedo de folga entre o peito e as tiras.

Já os assentos elevados servem para que a criança, sentada, fique mais alta, fazendo com que o cinto de segurança do carro passe nas partes do corpo que são capazes de suportar o impacto ocasionado pelo travamento das tiras do cinto de segurança em caso de colisão ou freada brusca (quadril, centro do peito e meio do ombro).

Ao contrário da cadeirinha, que é fixada no banco traseiro com o cinto de segurança e utiliza tiras próprias para prender a criança ao equipamento, o assento de elevação prende simultaneamente o dispositivo ao banco e a criança ao dispositivo com o cinto de segurança de três pontos.

No mercado, há modelos de assento de elevação com e sem encosto e proteção lateral, é importante que os pais façam a escolha de qual modelo irão utilizar de acordo com o tamanho da criança. Para crianças com estrutura física menor, o encosto pode oferecer melhor acomodação ao dispositivo, além de posicioná-las de forma correta no banco. Outra vantagem do encosto é para as crianças que dormem, pois elas podem apoiar o corpo nas laterais do assento de elevação, evitando, assim, de cair para frente quando pegam no sono.

Veja mais dicas para a compra dos equipamentos para bebês aqui!

 

Instalando o equipamento

Em qual banco instalar o equipamento? A maioria das pessoas prefere instalar o equipamento no assento logo atrás do passageiro, por facilitar que o motorista veja a criança enquanto dirige. Mas você sabia que esse é apenas o 3º local mais seguro do carro? O melhor é optar pelo assento do meio, desde que tenha o cinto de três pontos.

Saiba mais sobre a instalação do equipamento, com ou sem o dispositivo ISOFIX, e conheça um teste, que pode dizer se o equipamento está instalado corretamente aqui!

 
 

Posicionando a criança

1. Peça para a criança se sentar reta, com as costas e as pernas completamente apoiadas na cadeirinha. Não coloque nada atrás ou embaixo da criança, como cobertores ou travesseiros. A única exceção são os travesseiros de pescoço, como de avião.

2. Verifique que as faixas do cinto da cadeirinha estão passando na altura ou pouco acima dos ombros da criança, nunca abaixo.  Algumas marcas têm várias posições para adaptar à medida que a criança cresce e se esse é o caso fique atendo para as mudanças de fase.

3. Feche o cinto e aperte para que fique com no máximo um dedo de folga do corpo da criança para evitar o chamado efeito-chicote (link para a parte de perguntas frequentes). E atenção, o uso de clipes peitorais não é permitido pela norma brasileira por dificultar a retirada da criança, que deve ser especialmente rápida em caso de acidente.

4. Faça o teste do afivelamento: belisque a tira do cinto na altura no ombro da criança. Se com esse movimento de pinça você não consegue pegar nenhum excesso de cinto, vocês estão prontos para sair.

Atenção: Esse passo vai mudar se a família optou pela cadeirinha ou pelo assento de elevação.

Consulte a seção Dicas básicas - Ajuste correto, para mais informações.

Quando trocar o equipamento?

Para saber o momento de trocar o equipamento tenha como primeira e mais importante a regra do peso, delimitada no manual do fabricante. Depois, observe a altura, pois se a linha dos olhos da criança ultrapassar o topo da cadeirinha ou do assento elevado, também é preciso trocar o equipamento, pois dessa forma ele já não protege completamente a criança em caso de colisão.

Se estiver na cadeirinha, observe as tiras do cinto do equipamento, que devem sair da fenda na altura do ombro da criança, ou pouco acima. Se mesmo na fenda mais alta do equipamento (alguns modelos têm várias fendas para ajustar à medida que a criança cresce), quer dizer que já deve buscar um outro equipamento, pois este já não está mais adequado.

 

Importante:

Mesmo com todo o cuidado com a segurança dos pequenos dentro do carro, o trânsito não deixa de ser perigoso. É necessário que a atenção seja absoluta!

 

© ekloos 2017    |    Instituto Triunfo  |    Todos os direitos reservados